ANÁLISE EPISTEMOLÓGICA DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Adelcio Machado dos Santos

Rubens Luís Freiberger

Daniel Tenconi

Danielle Martins Leffer

Alisson André Escher

A Educação Infantil não pode ser entendida tão somente como sinônimo de preparação profissional ou garantia de um futuro promissor, que seja rentável e assegure a sobrevivência de um determinado indivíduo. Ao contrário, a Educação Infantil, deve, primeiramente, propiciar a formação plena do ser humano porquanto, antes de ser médico ou professor, a criança é certamente um indivíduo. Enquanto se permanecer com uma visão míope sobre as reais responsabilidades e possibilidades da Educação Infantil, continuar-se-á enxergando sempre a posição social e nunca o indivíduo em sua essência de ser humano. A criança como ser humano possui todas as suas potencialidades vivas, presentes; basta apenas que se permita o seu desenvolvimento natural. Entretanto, à medida que cresce, configuram-se inúmeras situações que a impelem a deixar de ser espontânea, necessitando se “adaptar” ao meio. Desta forma, neste caminhar, muitas características naturais vão sendo esquecidas. É possível perceber que esse processo se agrava mais quando, por meio dos inúmeros castigos que muitas vezes são impostos à criança, ela começa a ter medo de agir, de mostrar o que realmente está sentindo. As barreiras vão sendo construídas no dia a dia e a criança vai aprendendo o que pode e o que não pode fazer.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Educação infantil; Construto; Funcionalidade.

Baixar texto completo

PDF_ico.png