SEXOLOGIA E EDUCAÇÃO SEXUAL:
CONCEITOS HISTÓRICOS E ATUAIS DA TRANSEXUALIDADE MULTIDISCIPLINAR EM BUSCA DA FELICIDADE

Claudio Noel de Toni Junior

O artigo abordado versa sobre temas relativos a Gênero Sexualidade e Internet, argumentando no início a visão histórica de sexualidade no âmbito do período antigo (Egito, Grécia e Roma) com temas atuais sobre a massificação de usuários em sexo na rede mundial de computadores. O porquê se procura tanto sexo na Internet frente a outros tipos de conteúdo, como o: Educativo, Entretenimento, Cultura, Jogos Lúdicos ou sexo faz parte e é um tipo de entretenimento? As perguntas são várias e múltiplas de articulações horizontais e verticais. Se mais de metade do conteúdo na Internet é sobre sexo, tais como práticas de parafilias como: pedofilia, zoofilia, estupro de vulnerável, drogas ilícitas e lícitas envolvendo sexo, tais práticas são amplamente maiores do que o sexo em uma vertente educativa, pode-se concluir que se busca tanto sexo pois há procura, se a oferta é grande, a procura idem, e pessoas se identificam com seu conteúdo e que a Educação Sexual, corresponde a menos de 1% sobre sexo na Internet, que pode ser inserida na grande área Educação. O sexo buscado na Internet visa à visualização de atos sexuais, conversas por meio de plataformas de encontros, salas de bate-papo, a qual o sujeito consegue realizar e fazer em frente a uma tela estática o que não conseguiria em colocar em sua prática cotidiana. No artigo se analisa, dialoga e compara o sexo no período clássico por meio da Educação Sexual e o cotidiano de tratamento sobre transexualidade como cirurgias, a não aceitação de um corpo a qual a pessoa não se identifica e conclui que a cirurgias de transgenitalização não são fator absoluto para a felicidade de transexuais.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

História da Sexualidade; Transexualidade; Tratamentos; Socialização; Felicidade.

Baixar texto completo

PDF_ico.png