DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE FÍSICA

Ellen Yoshie Sudo Lutif Gunji

RESUMO:

Com o advento do construtivismo estamos assistindo a certo esquecimento da dimensão experimental que guarda o ensino de ciências. Nas publicações mais recentes referentes à literatura específica, no Brasil, pouco ou nada tem se relacionado a experimentação ao construtivismo. As diferentes formas que têm se mostrado o construtivismo parecem tender a compreender a aprendizagem somente por meio da organização conceitual do conteúdo. Pouco valor tem sido dado aos fenômenos e ao tratamento dos mesmos em situações de ensino-aprendizagem embora tais fenômenos estejam no bojo da elaboração conceitual para a ciência. Todavia, é clara a necessidade de os alunos se relacionarem com os fenômenos sobre os quais se referem os conceitos. E, nesse sentido, estamos falando em experimentação no ensino de física como algo complementar e necessário ao processo educacional. O presente artigo refere-se a uma proposta didático metodológica para organização das atividades experimentais realizadas em física no Ensino Médio dentro da concepção construtivista. O objetivo é ofertar aos professores subsídios para estruturar suas aulas de laboratório de modo a primar pela realização de atividades voltadas à construção do conhecimento e não reduzida a procedimentos do tipo “receita de bolo”. A proposta é estruturada em três etapas, pré-experimental, experimental e pós-experimental, com significativa ênfase na primeira (pré-experimental) e na última (pós-experimental).

Palavras-Chave: 

Ensino de Física; Construtivismo; Aprendizagem Significativa.

Baixar texto completo

PDF_ico.png