A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE ESCOLAR NA SAÚDE DOS PROFESSORES

Juliana de Campos Vetritti

RESUMO:

O presente artigo tem por objetivo identificar as condições da atuação do professor e se estas ocorrem e um ambiente que promove a saúde. Neste intento foi elaborado um breve contexto histórico dos diferentes conceitos de saúde presentes na história da sociedade. Buscou-se identificar as transformações relevantes na educação do Brasil relacionando saúde e ambiente escolar. O método de investigação utilizado foi revisão de literatura. Os dados foram coletados na Plataforma SciELO, no acervo da biblioteca da USP, PUC, UNICAMP e nas publicações dos sindicatos. A busca foi realizada a partir de 2004 com as palavras chaves: promoção de saúde, saúde dos professores e saúde na escola. As categorias que sustentaram a análise foram: promoção à saúde, a escola como ambiente que promove a saúde, a saúde dos professores, e o papel do psicólogo nesse ambiente de trabalho. Foi possível considerar que a instituição escolar não garante o bem estar físico e psicológico de seus profissionais. A estrutura do ambiente, a precariedade dos recursos pedagógicos, a quantidade de alunos por professor, as constantes exigências, as cobranças e a falta de liberdade para planejar seu trabalho de acordo com seu contexto faz com que a função do docente se torne insuportável, e ele adoeça; por isso, todos esses aspectos devem ser considerados em termos de políticas públicas em educação para que se possa pensar na escola como um ambiente provedor de saúde. Programar a atuação do psicólogo por meio um projeto mediado por ações transformadoras que garanta o bem-estar dentro desse ambiente é uma das possibilidades e desafios diante destas demandas.

Palavras-Chave: 

Promoção de saúde; Escola; Professores.

Baixar texto completo

PDF_ico.png