AFETIVIDADE E INTELIGÊNCIA: UM ESTUDO SOBRE A IMPORTÂNCIA DAS RELAÇÕES AFETIVAS PARA A CRIANÇA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SEUS REFLEXOS NO DESENVOLVIMENTO COGNITIVO E SOCIAL

Eduardo Fidelis de Souza

Este artigo apresenta um estudo respaldado em referências bibliográficas significativas para a educação e de vivências em escolas públicas de educação infantil que fortalecem a opinião do autor de que, em meio ao cenário de educação pública e privada que fazemos parte neste século XXI, onde, ainda que haja legislação que respalde os direitos da criança, há um desequilíbrio emocional intrínseco nas comunidades escolares infantis na maior parte do grupo pertencente a este, decorrentes das faltas de estruturas familiares advindas da omissão dos pais/responsáveis no que tange ao investimento de tempo de qualidade junto à criança. Muitas vezes, estes adultos em questão, por investir mais tempo priorizando outras coisas, acabam terceirizando o papel afetivo. A escola, apesar de tentar cumprir o seu papel social e profissional, num sistema haja vista com muitas falhas, a omissão da família neste compromisso de educar estes pequenos cidadãos para o mundo e para a ordem e progresso do país é de muita importância, e sem esta participação, infelizmente, esta educação infantil contribuirá para a formação de futuros adultos limitados intelectualmente e desequilibrados emocionalmente; que refletirão em seu caráter e comportamento, danos possivelmente irreparáveis.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Afetividade; Relações Afetivas; Inteligência; Crianças de Educação Infantil; Desenvolvimento Cognitivo e Social.

Baixar texto completo

PDF_ico.png