MEIO AMBIENTE:
UM ESTUDO SOBRE MAUS TRATOS A ANIMAIS SILVESTRES, RECUPERAÇÃO E
REINTRODUÇÃO EM SEU HABITAT NATURAL

Roberta Cardoso Garrido

O risco de extinção de animais está aumentando, prejudicando também a flora, um dos motivos é o tráfico e a degradação do meio ambiente. Para lidar com essa situação trágica grupos de preservação trabalham a fim de proteger esses animais em centros de reabilitações. Alguns animais são recolhidos por bombeiros e órgãos de fiscalização e levados para manutenção com intenção de serem reintegrados. As técnicas utilizadas são o manejo que consiste em um conjunto de ações indo desde a apreensão até a destinação do animal. As práticas de manejo devem ser voltadas para o atendimento das necessidades de cada animal, sendo que é grande importância o registro em prontuário próprio e individual, composto por documento de retenção e destinação, ficha clínica, biológica de reabilitação, observação diária, laudos laboratoriais acervo e necropsia. A finalidade do manejo é promover a soltura na localidade de procedência ou origem, porém existem animais que não correspondem à expectativa de reabilitação, outros são de regiões que não tem centros de reabilitação. Outra situação que se tornou um dos maiores obstáculos para a soltura é a falta de históricos desses animais de procedência e origem, impossibilitando a reintrodução em seu habitat natural, destinando-os ao cativeiro, nem sempre o objetivo final do manejo é alcançar do que é a reintrodução do animal em seu habitat natural. Os centros de reabilitação investem em educação ambiental visando a preservação da flora e fauna, servindo de estratégia por meio da sensibilização para a diminuir o tráfico de animais e evitar possíveis mortes de animais silvestres.

RESUMO:

Extinção; Manejo; Reabilitação; Educação ambiental

Palavras-Chave: 

Baixar texto completo

PDF_ico.png