O GOSTO PELAS ARTES VISUAIS NA INFÂNCIA

Débora Cristina da Silva

Fundamental para a humanidade no seu processo evolutivo a arte também exerce função prioritária na vida da criança, pois é um instrumento valioso para demonstrar seus sentimentos, pensamentos e um caminho para conhecer o mundo a sua volta. No século XIX iniciaram-se, impulsionados pelo crescente interesse de pesquisadores das mais diversas áreas, os primeiros estudos sobre expressão gráfica das crianças. Após significativos avanços hoje se entende o desenho infantil como forma de diversão para a criança, espaço de diálogo com o mundo que a rodeia, meio privilegiado de expressão, etapa do processo evolutivo da fala e da escrita e antes de tudo como uma manifestação vital da criança que projeta sua imagem e suas impressões e seu existir no desenho. Para atingir seus objetivos a criança utiliza todo seu corpo como instrumento de arte e também seja a acredita que o lápis é uma extensão do seu corpo. Neste momento tão importante para a criança o adulto deve estar por perto para auxiliar nas novas descobertas e guiar por esse novo caminho. No entanto, infelizmente ainda há um conceito distorcido sobre a real importância do desenho. Objetiva-se investigar a necessidade do ensino de artes e a sua importância no desenvolvimento integral da criança para valendo-se desse ponto e partida levantar meios e possibilidades para incentivar o gosto pelas artes visuais na infância principalmente nas expressões gráficas. Considera-se que o grafismo tem função primordial na infância e que não pode ser entendido como algo optativo ou como meio de passa tempo para as crianças mas sim que deve ser entendido como é e com todo seu valor e sentido.

RESUMO:

Palavras-Chave: 

Educação; Artes; Visuais.

Baixar texto completo

PDF_ico.png