DEPRESSÃO INFANTIL NO ÂMBITO ESCOLAR

Andréia Passarelli de Jesus

A depressão constitui, atualmente, uma das principais preocupações de saúde pública conforme a OMS. Vários autores destacam que os estados depressivos estão aumentando e ocorrendo cada vez mais cedo. De acordo com estudos voltados para a depressão na infância, a incidência gira em torno de 5% das crianças e adolescentes da população geral. Embora com essa relevância, tem sido pouco diagnosticada e poucos pacientes se beneficiam do tratamento. O atendimento adequado da depressão em crianças é realizado envolvendo, basicamente, o tratamento psicoterápico para casos mais leves e a associação de psicoterapia e medicamentos para os casos mais graves. Nesse trabalho, procurou-se investigar como a depressão se apresenta em crianças em fase escolar, quais as implicações na vida e no rendimento acadêmico dessas crianças, como a psicoterapia comportamental entende o fenômeno depressão e como pode ajudar na minimização do sofrimento causado por esse estado, tanto no ambiente clínico, quanto no ambiente escolar. E partindo desses pressupostos, sugerir estratégias interventivas, sobretudo no ambiente escolar, que venham a contribuir com uma melhor qualidade de ensino e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida para as crianças que sofrem de depressão.

RESUMO:

Depressão Infantil; Déficit Intelectual; Psicopedagogia.

Palavras-Chave: 

Baixar texto completo

PDF_ico.png